domingo, 1 de maio de 2011

Ministro da Justiça pede perdão a vítimas da ditadura

Postagem Dag Vulpi 01/05/2011
Agencia Brasil Vladimir Platonow

Ministro da Justiça pede perdão a vítimas da ditadura e estima aprovação da Comissão da Verdade para este ano

Rio de Janeiro – A Comissão da Verdade, proposta encaminhada ao Congresso Nacional durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, visando a apurar os crimes cometidos no período da ditadura militar (1964-1985), deve ser aprovada ainda este ano.
A expectativa é do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que usou um jargão militar para se referir ao tema: “Em busca da verdade, senta a pua. Há uma sensibilidade hoje dos líderes na Câmara [dos Deputados] em aprovar o projeto [da Comissão da Verdade] e acho que é muito importante que a sociedade brasileira tenha essa comissão, para saber a verdade daquele período triste da nossa história. Vamos aprová-la este ano, em um curto espaço de tempo”, previu.
Senta a pua, a expressão citada pelo ministro, tem suas origens da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). É o grito de guerra do 1º Grupo de Aviação de Caça da Força Aérea Brasileira (FAB), que tem o sentido de cumprir a missão, com coragem e bravura.
O ministro participou hoje (30) da 49ª Caravana da Anistia, da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, que julga processos de ex-perseguidos políticos e determina reparações financeiras às vítimas.
Cardoso discursou emocionado para os participantes da caravana, que lotaram o histórico auditório da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), palco das primeiras manifestações contrárias ao regime militar e alvo de um atentado à bomba em suas instalações, em 1976, conforme lembrou o presidente da entidade, jornalista Maurício Azedo.
Em nome do Estado brasileiro, o ministro pediu perdão às vítimas da ditadura. “Nós temos que reparar os danos que o Estado brasileiro fez no período da ditadura militar. Isso não implica só em uma indenização, mas também na reparação moral daqueles que foram atingidos. Cabe a mim pedir perdão em nome do Estado brasileiro.”

2 comentários:

  1. Parabens Ministro da Justiça, a indenizaçao é importante, mas o que mais interessa inclusive na pespectiva historica é o resgate moral e ético, e este sómente será possivel com a revelaçao da verdade, que passa obrigatoriamente pelo esclarecimento de todas as mortes e desaparecimentos de presos politicos.Sem que isto ocorra nao há justiça de transiçao, elemento essencial para permitir a reconciliaçao da Naçao Brasileira, que a Anistia nao foi capaz de fazer.

    ResponderExcluir
  2. O ministro da Justiça Jorge Eduardo tgem desempenhado um importante papel na mobilizaçao da aprovaçao da Comissao da Verdade, receba meus parabens e nosso compromisso de que temos participado dessa mobilizaçao.

    ResponderExcluir

Seja Bem Vindo, Participe!

Curta a nossa pagina

Ocorreu um erro neste gadget

Participe do grupo no Facebook

Pesquisar

Ocorreu um erro neste gadget
“Este é tempo de divisas, tempo de gente cortada. É tempo de meio silêncio, de boca gelada e murmúrio, palavra indireta, aviso na esquina.”
Carlos Drumond de Andrade