sábado, 9 de abril de 2011

Militares chilenos condenados por crimes na ditadura

Publicado por José Bazilio Moreira Júnior
Postado por Dagmar Vulpi 09/04/2011 12:10


Os militares foram condenados com 10 anos de cadeia pelo homicídio, em outubro de 1973, durante a ditadura de Augusto Pinochet, de um funcionário do FMI, dois turistas argentinos, um militante da direita chilena, um estudante universitário e outro cidadão chileno. Os condenados seqüestraram as vítimas do lugar onde dormiam, levaram-nas para um centro de detenção e, em seguida, simularam uma tentativa de fuga para assassiná-las.


Os três membros da Escola de Suboficiais do Exército foram declarados responsáveis pelos homicídios de Ricardo Montecinos Slaughter, funcionário do Fundo Monetário Internacional, e do casal Carlos Adler Zulueta e Beatriz Díaz Agüero, dois turistas argentinos. As outras vítimas foram Víctor Garretón Romero, militante do direitista Partido Nacional; Jorge Salas Pararadisi, estudante universitário, e Julio Saa Pizarro, cirurgião dentista.


Segundo a sentença, as vítimas foram detidas enquanto dormiam em seus apartamentos da Torre 12 de San Borja, um prédio localizado em pleno centro de Santiago, no dia 16 de outubro de 1973, por membros da Escola de Suboficiais do Exército, e levadas para o centro de detenção da Casa da Cultura de Barrancas, em Pudahuel. No dia seguinte, foram levadas para os arredores do túnel do Prado, onde se ordenou que saíssem correndo para simular uma fuga. Foram então assassinados.


A ONU solicitou informação sobre caso, ainda em 1976, pelo fato de um funcionário do FMI estar entre as vítimas. A pena imposta pelo juiz Jorge Zepeda, em primeira instância, é de 10 anos sem atenuantes para Gerardo Urrich, Juan Ramón Fernández e René Cardemil.


Tradução: Katarina Peixoto


Paulo Oisiovici Isso teria que acontecer também no Brasil!
Joelson Mdz Só não e nunca vai acontecer no Brasil.
Serginho P T Cubatão Pô Joelson... mesmo sob tortura, a esperança é a ultima que morre (perdoe o trocadilho)
José Bazilio Moreira Júnior Acredito que ainda vamos ver a justiça ser feita, pois ainda existe pessoas como a Secretária dos Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes, que mesmo sendo lento o processo, ela está dando sua cara a bater para buscar essa justiça. E acho que essa conquista, em um futuro próximo, poderá acarretar em muitas consequências.
Joelson Mdz Vai se prender, acusar quem de quê? Os ossos desses Tapurus que ainda estão vivos, da ditadura?
Joelson Mdz Gente morta não sofre nada, nem ver nada.
José Bazilio Moreira Júnior Não entendi Joelson?
Joelson Mdz VC DISSE: "Acredito que ainda vamos ver a justiça ser feita"...e o eu quis dizer com aquilo é que não haverá julgamento, sentença nenhuma para esse nojentos que restam da ditadura. NUNCA!
José Bazilio Moreira Júnior Acho que muitos dos que sofreram com as torturas, digo quem sofreu e sobreviveu e as famílias, esperam uma justiça, que nessa altura do campeonato seria difícil, como você mesmo disse, é difícil, mas acho que qualquer justiça feita será encarada com bons olhos por essas pessoas que esperam por isso.
Joelson Mdz Elas NUNCA verão justiça quanto ao que sofreram com a ditadura...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem Vindo, Participe!

Curta a nossa pagina

Ocorreu um erro neste gadget

Participe do grupo no Facebook

Pesquisar

Ocorreu um erro neste gadget
“Este é tempo de divisas, tempo de gente cortada. É tempo de meio silêncio, de boca gelada e murmúrio, palavra indireta, aviso na esquina.”
Carlos Drumond de Andrade