quarta-feira, 22 de junho de 2011

Carta De Che Guevara à Juventude

Paulo Oisiovici
 Publicação no facebook feita por : Paulo Oisiovici
"Essa é pra você, companheiro José Bazílio"

O jovem sempre foi e sempre será símbolo de renovação; não este símbolo descaracterizado, mistificado e calcado numa fé que não trabalha; mas um jovem que tenha a honra de ser comunista e que demonstra sê-lo com orgulho e a cada momento, porque esta é a sua bandeira.

É necessário que tenha a consciência de dever para com a sociedade, com os seres humanos, com a humanidade. Sensibilidade para identificar os problemas e injustiças; inconformidade e espírito guerreiro contra todo e qualquer formalismo. O jovem deve sempre ser um exemplo vivo, um espelho para os mais velhos que já perderam a sua jovialidade, o entusiasmo juvenil e a fé na vida e que, frente a esses exemplos acabam sempre por reagir bem.

Ser jovem é ser essencialmente humano, ser tão humano que este sentimento seja capaz de purificar o próprio homem através do trabalho, do estudo, do exercício de solidariedade para com seu povo e todos os povos do mundo. É desenvolver o máximo a sua sensibilidade e sentir-se entusiasmado frente a uma injustiça cometida em qualquer canto do mundo, mas também sentir-se entusiasmado quanto, em algum canto do mundo, se alçar uma nova bandeira.

O jovem não deve ser limitado pelas fronteiras, deve ser um internacionalista proletário, baseado nos exemplos vitoriosos de uma realidade palpável na luta contra o imperialismo e todas as formas de opressão dos sistemas injustos. Somos um facho de luz, unidos no mundo ideal, um espelho aos povos da América, aos povos oprimidos do mundo, que lutam por sua liberdade. Devemos ser, sobretudo. dígnos desses exemplos.
Os jovens devem ser românticos, idealistas inveterados, quase utópicos; mas capazes de mostrar que uma nova sociedade é possível.

Cabe ao jovem trabalhar todos os dias, aumentar seus conhecimentos sobre o mundo que o rodeia, colocando sempre os problemas do mundo como seus próprios problemas. E, assim, com o passar dos anos, de muitos sacrifícios e de muitas vezes termos estado á beira da destruição, teremos criado, junto com os povos do mundo, a sociedade comunista, o nosso ideal!








----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Debate bate papo facebook
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Paulo Oisiovici Um forte abraço e parabéns por sua postagem sobre a juventude abaixo!
Jader Resende Pra nois também.
Paulo Oisiovici Com certeza, companheiro, por isso está postada no grupo! Fiz uma chamada específica para o companheiro José Bazílio Moreira Junior por causa do belíssimo texto que postou sobre a juventude...
Paulo Oisiovici Gracias por tener postado, hermano Dagmar Vulpi. Hasta siempre!
Dagmar Vulpi Uma bela e justa homenagem esta que tu fizestes amigo Paulo, espero que não se oponhas, pois, fiz uma postagem com esta sua publicação no blog do grupo. Abraço.
Valquíria Prochmann Independente do tempo que temos e das experiências vividas, esta lição de Che Guevara deve sempre nos acompanhar. Sejamos sempre jovens e idealistas em nossos sonhos. Lindo texto, Paulo, vou copiar e fazer uma nota na minha página. Obrigada
Paulo Oisiovici Gracias mi hermana, comuna! Mas, cuidado com o crítico literário do grupo, nosso Olavo Bilac, catador de pulgas invisíveis... Quando leio essa mensagem do camarada Che, recordo-me de tudo o que fiz no movimento estudantil, durante a ditadura, no enfrentamento com a repressão nas manifestações de rua! Não me arrependo de nada que fiz. Me arrependo do que não fiz. Fiz tudo o que estava ao meu alcance e o que a história me exigiu e me permitiu fazer. Faria tudo novamente, e mais até, hoje, se o momento histórico exigisse e a vida me permitisse fazer...
Valquíria Prochmann Camarada Paulo Oisiovici, faz parte do espírito revolucionário conviver com as forças de conservação e combatê-las. Isso é histórico e dialético. Precisamos adquirir sabedoria para enfrentá-las sem permitir que nossos ideais sejam comprometidos. Não conheço tua atuação no enfrentamento da ditadura, mas tenho certeza de que foi a possível e devida, dentro do contexto em que você viveu. Ninguém pode cobrar ou julgar nada em situações de extrema violência. Nossa luta deve ter continuidade (porque jamais acabará enquanto vigorarem sistemas de exclusão humana) e nisso posso ter certeza de que você é implacável.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem Vindo, Participe!

Curta a nossa pagina

Ocorreu um erro neste gadget

Participe do grupo no Facebook

Pesquisar

Ocorreu um erro neste gadget
“Este é tempo de divisas, tempo de gente cortada. É tempo de meio silêncio, de boca gelada e murmúrio, palavra indireta, aviso na esquina.”
Carlos Drumond de Andrade