quarta-feira, 28 de março de 2012

Ultradireita tenta reagir à pressão popular pela Comissão da Verdade

militares
Um dos militares que participaram da ditadura, o general
aposentado Luiz Eduardo Rocha Paiva acredita que o Brasil
 teve poucos pessoas torturadas
A convocação dos oficiais aposentados para um ato público em favor da ditadura militar, nesta quinta-feira às 15h, horário semelhante aos dos manifestantes que tomarão a Cinelândia em uma manifestação de apoio à Comissão da Verdade, ganha contornos de uma paródia ao enfrentamento nos moldes conhecidos durante os Anos de Chumbo. Por e-mail, em mensagens apócrifas, militares afastados das tropas por alcançar idades acima dos 65 anos, apresentar problemas de saúde ou psicológicos, usam dos velhos jargões dos governos ditatoriais na tentativa de convocar simpatizantes a uma campanha denominada Brasil acima de tudo.
Com base no manifesto em que os sócios do Clube Militar, instituição ligada à ultradireita, com sede no Centro da cidade, tentaram pressionar – sem sucesso – a presidente Dilma Rousseff para não seguir adiante com as investigações de abusos e tortura de prisioneiros durante o regime de 64, os indivíduos que já não usam mais a farda e passam o tempo entre uma e outra conspiração contra a democracia, apelam aos aliados daquela era na tentativa de arregimentar apoiadores à palestra do general Luiz Eduardo Rocha Paiva, figura conhecida nos porões dos antigos Doi-Codi e Cenimar, centros de referência na tortura e morte de prisioneiros políticos no Brasil.
“Creio ser um assombro a luta de alguns poucos no sentido de abrirem os olhos da sociedade! Eles serão mártires ou heróis desta luta insana! De qualquer forma, que Deus os ilumine pela verdadeira guerra que fazem com as armas da crítica e do esclarecimento. Se cometerem algum erro, que tenham a certeza, ele será irrelevante no contexto do bom combate que travam, pois seu alerta está sendo dado!”, diz o texto, apócrifo, do “chamamento” que distribuem na web. Segundo os organizadores, policiais alinhados à extrema direita, integrantes de clubes de serviço que, na época da ditadura, apoiaram o regime militar, membros do grupo fascista Tradição, Família e Propriedade (TFP) e maçons que apoiaram o regime imposto pela força das armas deveriam ser convocados para comparecer ao Clube Militar.
Na mensagem, ditam como cada um dos ex-integrantes das Forças Armadas deveria atuar, na busca de mobilizar alguns incautos para uma reação à Comissão da Verdade.
“1 – Para tirar cópia do chamamento (…) na copiadora – 15 minutos. Quem preferir gastar alguns centavos, tire cópias no comércio local e distribua pelo menos nas caixas de correspondência de seus edifícios.
“2 – Quantos parentes sem e-mail já foram contatados pelo telefone? – 30 minutos;
“3 – Já telefonaram ou passaram e-mails para os conhecidos das (sic) polícias militares? – 15 minutos;
“O “LIONS” e o “ROTARY” da cidade já estão por dentro da campanha, telefonema ou e-mail? 10/15 minutos;
“4- A “loja maçônica” da cidade já está por dentro da campanha, telefonema ou e-mail? – 10/15 minutos”.
A mensagem, sem nenhuma assinatura, em tom de ameaça, alega ainda que os antigos militares não podem “entregar o ouro ao bandido vermelho, de graça”, talvez em referência à ação guerrilheira do Partido Comunista do Brasil e de outras vanguardas revolucionárias da resistência, que terminaram por determinar o fim da ditadura no país, com o apoio de toda a sociedade civil. Ainda segundo o texto, “depende das comunicação que vocês lograrem, por e-mail ou telefone, com os “LlONS’, ‘ROTARY’, ‘lojas maçônicas’, ‘TFP’ e assemelhados”, sem citar o que seriam estes últimos. 

Sem dentes

Para alguns dos organizadores da manifestação, convocada pelas redes sociais em uma mensagem transmitida, por vídeo, pelo cineasta Silvio Tendler, essas “manifestações malucas que circulam pela internet” não significam um perigo real para a realização do ato convocado para as 14h, em frente ao Clube Militar, na Avenida Rio Branco, nesta quinta-feira.
– São leões sem dentes. Rugem, fazem barulho, mas já não mordem mais ninguém – concluiu um dos ativistas, que prefere não se identificar “para não jogar mais lenha na fogueira”.
Procurado pelo CdB, o presidente do Clube Militar, general aposentado Renato Cesar Tibau da Costa, sequer respondeu às ligações.

5 comentários:

  1. A Comissão da Verdade deve apurar sim o que ocorreu durante a Ditadura Militar, faz parte da História do Brasil. A população mais jovem tem o direito de saber o que se passou nesse período sangrento. “Quem não deve, não teme”. Se na Argentina e no Chile, foram apuradas as mortes, sequestros e torturas e punido os culpados, porque no Brasil há tanta resistência em mostrar a verdade? Será por vergonha de assumir o que fizeram? esses torturadores já são idosos e deveriam se redimir, já que estão no final de suas vidas.

    Maria Auxiliadora Mozzelli

    ResponderExcluir
  2. Todas as pessoas que sumiram na nefasta ditadura brasileira deveriam ter os seus processos reabertos. Não é possível que o exército cometa crimes hediondos e fique impune. Que sejam investigados e punidos todos os participantes de assassinatos cometidos pelas forças armadas deste “idolatrado, salve, salve, brasil”. do soldado ao General.

    Nestor

    ResponderExcluir
  3. A ditadura militar foi imposta ao Brasil pelos EUA, atraves da CIA e da IV frota americana. Pela 1ª vez li um reonhecimento oficial sobre a questão, partindo do proprio governo, a semana atras, quando o Min. da Defesa, junto com os comandantes das 3 armas foram dar um sossega leão na velharada do clube militar. Tenho mais de 74 anos e recordo bem os episodios e tenho conhecimento que toda história esta distorcida, desde o tempo do Getulio e existem as versões reais da mesma. A Lei da Anistia foi feita em comum acordo entre as partes, em 1979, promulgada pelo então presidente Figueiredo, e anexada oficialmente a constituição de 1988. Nósso caso é diferenta do que o da Argentina, Chile e Uruguai, embora em todos tenham a mãozinha americana, fundamentada em sua Doutrina Monrroe. Creio que estabelecer a verdade deve ser feito sim, porque todo mundo sabe oficialmente que o Brasil entrou na 2ª guerra mundial por imposição dos EUA e GB que precisavam de Natal para atingir Dakar. Existem fatos que não vieram a tona ainda, mas são conhecidos principalmente pelos remanecentes da época.Não podemos com isso partir para revanchismo pois isso só desastibiliza a nação e muitos desses fatos podem estar sendo cutucados pela propria extrema direita brasileira que ve o poder sumir de vista.Lembremos contudo que os maiores culpados foram os USA e se alguem deve ser processado por jogar nosso povo em guerra fraticida, são eles inquestionavelmente. A ONU e o Forum interamericano quer processar militares brasileiros por crimes da época ? Pois que processem seus mandantes , os USA. Não defendo os cimes, simplesmente acho que se querem sujar as mãos desse jeito que o façam com quem deve de fato.

    Gianpiero Zuliani

    ResponderExcluir
  4. Os dois lados estao errados. foi decretada a anistia geral ampla e irrestrita, o que passou passou o brasil tem problemas de mais para se preocupar com o que passou,pois hove abusos de ambos os lados, vao trabalhar e resover o cao0s da saude, moradia, salarios,transportes,hospitais etc…

    mario jorge alves de miranda

    ResponderExcluir
  5. As esquerdas desorientadas no presente e sem perpectivas no futuro, mergulham no passado, reviram cinzas e fezes, empesteiam o ambiente político nacional com acusações sem provas, de uma época conturbada, internacionamente à beira de guerra nuclear, comportando-se como crianças tolas e choronas. Nós não sabemos nem o que se passou uma semana atrás, nos bastidores verdadeiros de Brasília, que dirá o que aconteceu há mais de quarenta anos. Aqueles que deram suas vidas acreditando em suas utopias, descansem em paz e terão seus nomes lembrados até um certo tempo. Quem se lembra dos brasileiros que deram suas vidas na guerra do Paraguay? ou mesmo na 2a.guerra mundial? O que se passa agaora é pura bagunça organizada pela internet, exatamente como aquela que resultou na morte de dois rapazes no jogo PalmeiraxCoríntians . Mutatis , mutandis é a mesma turba anárquica. Se fossem “realmente” vermelhinhos teriam lido um importante catecismo de Lenin ” Esquerdismo, doença infantil do comunismo”, no qual o lider soviético denuncia essas posições radicais de esquerdistas que tanto mal trazem à revolução. São, todos aqueles que aparecem nas fotos, jovens inocentes úteis, à serviço dos inimigos ocultos de nosso país, que querem o Brasil ingovernável! Inimigos ocultos em partidos, pretensamente democráticos, açulam os jovens, para ver se nas águas turvas, pescam alguma coisa para suas carreiras políticas. Voltem para as escolas, estudem bastante. Ajudem a construir um paíss que já não pode desenvolver-se por falta de engenheiros, médicos, cientistas. É mais fácil ir namorar nas turbas, e tomar um chope no final da passeata, sentido-se de bem com suas consciências turvas pelas drogas. Porque é disso que se trata.

    Ronaldo Rego

    ResponderExcluir

Seja Bem Vindo, Participe!

Curta a nossa pagina

Ocorreu um erro neste gadget

Participe do grupo no Facebook

Pesquisar

Ocorreu um erro neste gadget
“Este é tempo de divisas, tempo de gente cortada. É tempo de meio silêncio, de boca gelada e murmúrio, palavra indireta, aviso na esquina.”
Carlos Drumond de Andrade