quarta-feira, 4 de abril de 2012

Debate no fórum do grupo Documento Ditadura, tendo como tema: A ditadura civil-militar - Na ótica de Daniel Aarão Reis


Debate transcorrido no fórum do grupo Documento Ditadura no facebook, tendo como tema a postagem: A ditadura civil-militar - Na ótica de Daniel Aarão Reis, que pode ser conferida aqui.

Confira abaixo o desenrolar do debate.

Dagmar Vulpi Bastante interessante a publicação do amigo Paulo Cesar Alves. Na postagem do Daniel Aarão Reis são apresentadas as possibilidades de um "contraditório" que convergem para um caminho que, por certo trará diferentes interpretações e conseqüentes opiniões dos amigos aqui do grupo Documento Ditadura. Este é o objetivo do grupo, e sinceramente eu ficaria muito satisfeito em ler essas opiniões.
Para isso fica o convite para o debate.
Osvaldo Bertolino Dagmar Vulpi: Concordo com ele. Não uso o termo "ditadura militar" por ser impreciso. Abraço.
Espedito Freitas Expropriar o sistema bancário, Mesbla, Bombril, Lojas Americanas, Shell, Esso, Atlantic que, o Jânio também usou o slogan da vassoura, ñ é? Concordo com ele sim! _ O Jango tinha uma boa plataforma de trabalho, mas, o partido e certos assessores... Sem comentários!!!
Os militares só queriam essa deixa para dar o golpe e principalmente os magnatas empresários, elite burguesa que patrocinaram e deram logísticas, e se aliaram aos USA que foi e é, o mais olhudo nas riquezas brasileiras....
Andre Prado Definitivamente não podemos eximir a sociedade civil no golpe de 64. Se realmente houve um movimento de massa a favor do golpe, isto só nos leva a crer na premissa, de que o povo, devido a sua ação reacionária, teve o governo merecido e sofreu as conseqüências. A ação dos militares, foi um tiro no pé desses mesmos brasileiros reacionários que apoiaram a ditadura, iniciado pela grotesca intenção de instituir o chamado e fracassado milagre econômico brasileiro, que com o decorrer do processo trouxe apenas concentração de renda, atraso e miséria absoluta ao país. Agora a questão é definir se a comissão da verdade, não deva investigar também esses mesmos segmentos civis que se enriqueceram graças aos crimes que a ditadura militar cometeu. Evidentemente houve uma escolha pela força de uma considerável parcela da população civil. Então, se a sociedade institucional rever esses processos, considerando que não houve uma legitima defesa dos interesses nacionais, como os militares alegam, que se apure os crimes contra os direitos humanos, apontando juridicamente os autores em todos os seus aspectos, nas esfera militar e seus cúmplices que foram coniventes nos setores da sociedade civil.
William Machado Canoas Também concordo com o Daniel Aarão Reis, mas gostaria de deixar registrado que, enquanto o Brasil não julgar os apoiadores da ditadura,não se libertara dos fantasmas. Todos nós sabemos quem apoiou e quem esteve ao lado dessa época triste do Brasil.
Carlos Molina Bom texto!
Célio Novais André nem todos os setores da sociedade civil brasileira, se ferraram com o golpe, a classe média e a Igreja de fato saíram com uma mão na frente e outra atrás, mas a grande elite se beneficiou e muito com a Ditadura. As grandes multinacionais, o Império Marinho, "coronéis" nordestinos como Sarney e a família Collor, políticos udenistas que se mantiveram fiéis aos milicos, gente do judiciário, das polícias, funcionários públicos, etc. Isso sem falar dos interesses norte-americanos que aqui foram preservados. E o pior de tudo é que esses safados tão soltos e continuam enchendo o rabo de dinheiro com a "esquerda" (se é que podemos chamar disso) do PT...
Eduardo Homem da Costa Célio Novais,tem também o Eike foi gerado nesta ditadura,quanto ao professor esqueceu do maior inimigo deles que foi Brizola que arriscou a vida para restabelecer a legalidade,e conseguiu.Só falam de Governo Goulart e esquecem dos grandes trabalhistas que estavam a seu lado. Este "esquecimento" é de propósito e ele o sofreu em vida e agora morto.
Célio Novais Sim havia vários setores que apoiavam Jango, Aarão, meu professor, diga-se de passagem, dá entender q tvz a maior parte apoiou o golpe, ou por volta da metade dela. Mas isso é um pouco estranho, já que Jango fora eleito vice (os vices eram eleitos naquela época) e conseguiu restabelecer seus plenos poderes como Presidente, chefe de Estado, com base num plebiscito no qual saiu vitorioso também, diga-se de passagem. O PTB era um Partido fortíssimo, herdeiro direto do Trabalhismo e de Vargas, que era adorado até por muitos militares golpistas, tinha como base praticamente toda a força sindical, os movimentos sociais na cidade e no campo, parte do PSD e apoio dos comunistas do PCB, na ilegalidade desde o governo do General Dutra, isso sem falar que dentro das próprias Forças Armadas haviam muitos oficiais com muitas estrelas no peito que apoiavam Jango, exemplo como o Marechal Lott, ou melhor a Campanha da Legalidade de Brizola em 1961, mostrou bem que grande parte das Forças Armadas apoiava Jango, o General Machado Lopes, comandante do Terceiro Exército (Do RS e SC), tinha como plano marchar com Jango até Brasília e se unir a outros Estados e exército, principalmente o 6º Exército em Goiás e o 1º Exército no Rio de Janeiro (q estava meio fulo com as posições entreguistas de Carlos Lacerda), principalmente antigos tenentistas e oficiais q haviam apoiado os governos de Vargas, q não eram poucos, quiçás não fossem maioria. Isso sem falar que dentre os próprios generais golpistas em torno do maestro do Golpe, Golbery, também eram discordantes se faziam ou não o Golpe, ou se mesmo fazendo-o ficariam no poder de forma provisória ou permanente.
Se o apoio popular ao regime fosse tão forte, não haveria então tanta necessidade do Regime perseguir de forma tão cruel, fria e coordenada a oposição, e não falo só em oposição armada por parte de alguns dissidentes do PCB, mas falo também de oposição pacífica, principalmente do próprio PTB que teve seus congressistas praticamente mandados à força ao exílio.
Eduardo Homem da Costa Bem lembrado ele foi eleito duas vezes vice teve mais votos que Juscelino se não me engano, e depois com o Jânio, mas foi a campanha da legalidade desencadeada por Brizola pelo rádio que nos levou ao tal "Parlamentarismo" e com ele agitando ao plebiscito e a vitoria do Presidencialismo.
Célio Novais Sim Eduardo, de fato seria provável q Brizola se elegesse presidente em 65, já que não era permitida reeleição (isso só é permitido depois que FHC compra quase todo o Congresso, diga-se de passagem). O que os militares temiam, se cagavam de medo pra ser sincero. Existia até um jingle inventado pelo próprio Brizola, "Cunhado não é parente, Brizola pra presidente!". rsrsrsrsrs. Se Brizola subisse à presidência seria um novo Vargas, mas sem muitos dos defeitos que tinha Vargas. Brizola tinha a mente aberta, era um político ardiloso e tinha desejo de vingança com os udenistas e militares que tentaram armar o Golpe contra Jango em 1961 e detalhe, Brizola não se entregaria como fez Jango, ou faria uma nova Revolução no país, ou seria morto como um mártir na capital, como ocorreu com Allende no Chile cerca de dez anos depois.
O parlamentarismo é empurrado goela abaixo pra Jango, por que ele aceitou... tanto que em Porto Alegre ele fora humilhado por populares por ter aceitado o acordo, se não me engano as mulheres jogaram calcinhas nele. rsrsrsrs. De fato em 1961, Jango poderia ter eliminado da jogada toda a trupe de Golbery e os udenistas estonteados com os planos sem noção de Jânio Quadros.
Eduardo Homem da Costa Só não foi por que os Sargentos da Aeronáutica esvaziaram os pneus dos aviões que iriam bombardear o palácio do Governo onde estava a Rádio da Legalidade transmitindo para grande parte do Brasil e o povo estava indo para la para impedir o bombardeio.
Hoje a China onde estava Goulart é a segunda maior economia do mundo, Cuba continua a mesma e ao ouvirmos o discurso dele na Central do Brasil veremos que é atualíssimo na matéria Reformas que nunca foram feitas.
Andre Prado Célio você fala de uma elite que se beneficiou do golpe, evidentemente que falo da maioria dos trabalhadores que foram submetidos a um nível abaixo da linha da pobreza ou aqueles que reproduziram meramente sua sobrevivência, servindo como massa de manobra, bem como os setores organizados dos trabalhadores e setores politizados da sociedade, contrários ao golpe como únicos a se ferrarem e serem oprimidos com tamanha violência, já que setores da classe média tradicionalista, ainda tiveram dividendos dessa atrocidade e vergonha na nossa história. Definitivamente, o conjunto de forças da direita estava muito mais organizado, nesse movimento de reação a democracia, o arranjo de forças do Estado autoritário militar se sobressai, excluindo determinados segmentos de apoio, caso dos setores que você citou na divisão do poder. O golpe só foi possível graças a divisão da esquerda, enfraquecida, do nível baixíssimo de consciência política da maioria da população, já que somente alguns setores industrializados dos trabalhadores do sul e sudeste estavam organizados, palco de um conflito onde prevaleceu a ação reacionária.
Lembro também que Brizola fez um esboço de reação, comandando uma resistência com setores favoráveis a reforma de base, os chamados legalistas, composta pelo alto-comando das forças armadas, segmentos progressista da Igreja Católica, Militares de baixa patente e estudantes de universidades adeptos das Reformas de Base. Se as lideranças de esquerda, já divididas, tivessem somado forças em conjunto com os setores progressistas, e se Jango fosse firme no propósito de defender a democracia, preferindo, ao invés disto, fugir a lutar, provavelmente o rumo dos acontecimentos seria outro. A meu ver os generais da ditadura encontram condições favoráveis para implantar o sistema se fortalecendo na desorganização política de seus opositores.
E digo mais, como em 64, atualmente, as forças de reação ainda estão muito mais organizadas do que os setores progressistas e de esquerda. A esquerda de modo geral é dividida e não consegue formar um bloco solido para se tornar um partido de massas, prefere culpar o PT, ao fazer sua própria autocrítica no contexto político. Se eximindo de sua responsabilidade pelo atraso. Não consigo ver uma população de trabalhadores politizada, que em minha opinião, está em situação pior que em 64, segmentos dispersos e estratificados com interesses contrários e distintos, uma nova classe média, não muito diferente das aristocráticas tradicionais acreditando ainda no milagre econômico. A grande massa ainda é influenciada e condicionada pela mídia, que cria um clima propicio para o controle das elites no poder. O PT hoje, sem ser um partido hegemônico, por conta dessa divisão e desorganização da esquerda é um reflexo dessas condições, prezo a uma ala conservadora e com receio dos setores reacionários, tentando operar a maquina do Estado com os meios que dispõe. Setores militares, grandes latifundiários, fundamentalistas religiosos, bancos e políticos profissionais a cercá-lo, fazendo ameaças ou pressão e tentando desmoralizar o governo Dilma. A democracia, só não está fragilizada e nem ameaçada por uma possível pretensão golpista, porque, nessa altura dos acontecimentos, não contaria com apoio da comunidade internacional e principalmente dos EUA. Caso contrario, se não houvesse, ao menos, o crescimento econômico e o apoio desse governo da grande maioria, com as atuais forças de esquerda e progressistas sem identidade ideológica e uma população sem qualquer identificação ideológica, os blocos reacionários, com estas condições propicias, já teriam tomado o poder a força.
Carlos Molina Concordo em parte, se a dita esquerda marxista pelos mais diferentes motivos (sectarismo, priorização da táticas em vez da estratégia, etc.) não teve a devida competência para se reaglutinar, também não dá para eximir os sociais democratas que utilizaram do PT para esvaziar a reorganização dos agrupamentos marxistas vendendo a ilusão de que este era a "frente de esquerda". Fato que na época foi tão do agrado do regime militar, que logo não colocou nenhum obstáculo para que este projeto se consolidasse. Com o tempo a direita petista, no início agrupada na Articulação, hoje Campo Majoritário, cada vez mais a direita, foi de fenestrando do quadro partidário todos aqueles que iam contra as suas proposições e perspectivas de poder.
Andre Prado Tente projetar Bolcheviques, que aglutinaram forças e se tornaram um partido da grande maioria, isto porque estavam sintonizados com as suas reais possibilidades. Só assim conseguiram fazer a revolução. Isto só vem provar que as forças de esquerda dentro do PT não tiveram competência para se estabelecer e nem aglutinar forças dos trabalhadores, sendo completamente aniquilados pela articulação. Em política, meu amigo não existe domínio sem organização. Mais uma vez a direita se sobressai dentro do PT e na sociedade como um todo,porque a esquerda não consegue ter forças para predominar, esta é a verdade. Um abç.
Carlos Molina É que a social democracia petista recebeu muita grana do exterior para montar o seu projeto, principalmente o vindo da Alemanha, como contou com a estrutura secular organizacional já pronta "emprestada" pela Igreja. Os marxistas tiveram de recomeçar do zero. Então não dá para cair do reducionismo de uma mera "falta de competência". O PT foi e é um engodo!
Andre Prado Concordo, o PT é um engodo, mas a esquerda não fica muito longe não. PC do B, PPS, PSOL, PV, que até então tinha em Marina como angorá, então perceba como a esquerda não tem identidade nesse momento. Estão tão dispersos que não conseguiram ter um eixo legitimamente polar na transformação da sociedade e nunca conseguiu aglutinar forças para se tornarem um partido de massas. Admita que a esquerda não consegue se estabelecer como força política.
Osvaldo Bertolino Quem é a esquerda hoje? Quais são seus principais atores?
Identidade faz parte de um processo, sem isto não há sintonia com as reais possibilidades de transformação. Como é que você espera que os trabalhadores se vejam representados se não existir identificação, meu caro?
Andre Prado Quem é a esquerda hoje? Quais são seus principais atores?
Identidade faz parte de um processo, sem isto não há sintonia com as reais possibilidades de transformação. Como é que você espera que os trabalhadores se vejam representados se não existir identificação, meu caro?
Eduardo Homem da Costa Resumindo "Cacarejaram na esquerda e botaram os ovos na direita" O PT é a UDN de macacão. Mas a luta continua o caminho é para uma Frente, mesmo sem "fundos",e apoiarmos candidatos progressistas que existem em vários segmentos,e esta é uma proposta do M.R.L.B. Movimento de Resistência Leonel Brizola da qual faço parte.
Andre Prado Rsss, você resumiu muito bem Eduardo. "Cacarejaram na esquerda e botaram os ovos na direita", porém hj é muito pior, a esquerda hoje não tem voz e nem ação ou reação. Estão paralisados, a espera de um milagre revolucionário. Mediocridade, meus caros.
Osvaldo Bertolino A subjetividade nunca foi boa companheira para analisar a realidade concreta. Essa é a vantagem do marxismo. A verdadeira identificação com as coisas reais. E, em se tratando da pluralidade da esquerda, hoje essa identificação está por toda parte. É só olhar e ver. Sem viseiras dogmáticas.
Andre Prado Será que nós estamos analisando a mesma realidade, pela perspectiva dialética. Existe antagonismo de classes sociais hoje? Os trabalhadores estão estratificados e lutando dentro de seus próprios núcleos, cada qual com seus interesses distintos e fechados, lutando entre si. Eles realmente se sentem aglutinados em torno de uma proposta comum? Tem as mesmas afinidades no campo social e político?
A esquerda foi capaz de absorver os interesses dos trabalhadores? Veja por exemplo, no caso da comunidade pinheirinho, a direita fez o que quis e a esquerda só cacarejou sem poder fazer nada.
Eduardo Homem da Costa Então tá,"Não importa a cor do gato desde que ele coma o rato". Só que os gatos estão gordos e preguiçosos comem ração, e os ratos também estão e sua alimentação é a mesma de sempre. O Olho grande está entrando na China.
Andre Prado Na minha modesta opinião era muito mais viável os gatos estarem se arranhando dentro do saco, entre esquerda e direita, tendo oposição dentro do PT, do que os marxistas se estilhaçarem em fragmentos insignificantes e sem qualquer resultado pratico a nível político. A direita enquanto isto, tem a mesma identidade quando se trata de seus projetos, e se une mesmo em partidos diferentes.
Deixamos os caras da direita, acabarem com nossos sonhos dentro do PT. Hoje ele se tornou facção única, sob o controle dos sociais democratas travestidos de esquerda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem Vindo, Participe!

Curta a nossa pagina

Ocorreu um erro neste gadget

Participe do grupo no Facebook

Pesquisar

Ocorreu um erro neste gadget
“Este é tempo de divisas, tempo de gente cortada. É tempo de meio silêncio, de boca gelada e murmúrio, palavra indireta, aviso na esquina.”
Carlos Drumond de Andrade