terça-feira, 7 de junho de 2011

Abaixo Assinado Para Que Os Torturadores Do Regime Militar Não Dêem a Última Palavra Na Novela "Amor e Revolução"

Tiago Santiago Autor   e Reynaldo Boury diretor  da novela "AMOR E REVOLUÇÃO"


CIDADÃOS BRASILEIROS COMPROMETIDOS COM A VERDADEIRA DEMOCRACIA, COM A DEFESA DOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS E COM O RESGATE DA MEMÓRIA HISTÓRICA DO BRASIL, TOMANDO CONHECIMENTO DE QUE A NOVELA “AMOR E REVOLUÇÃO”, ATUALMENTE VEICULADA PELO SBT (SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO), TEM COMO OBJETIVO FINALIZAR SEUS CAPÍTULOS COM A PUBLICAÇÃO TELEVISIVA DE DEPOIMENTOS DOS TORTURADORES, TEMOS A CONSIDERAR E A EXIGIR O QUE SEGUE:

1) Consideramos que a história oficial que predominou no Brasil foi a “história” da versão oficiosa dos ditadores e todos aqueles que, de alguma forma, colaboraram para a sustentação do regime de opressão, seus torturadores, estupradores, assassinos e responsáveis pelo desaparecimento de pessoas, simplesmente porque se opunham à supressão das liberdades democráticas, permanecendo, até então, sem qualquer rastro oficial da destinação de seus restos mortais, negando às suas famílias o direito ao luto e à ciência da localização de seus entes queridos.

2) Na condição de vítimas do golpe de estado dado em 1964, integrantes do do povo brasileiro na luta pelo resgate da memória histórica, temos a prerrogativa de impedir que a perpetração da versão oficiosa dos ditadores continue se repetindo pelos meios de comunicação, pelos veículos de educação e pelos valores transmitidos às gerações que nos seguem.

3) Entendemos que os ditadores já trouxeram sua versão dos fatos relacionados ao período de crimes e arbitrariedades ao longo dos mais de 20 anos em que permaneceram no poder e pretendemos que este momento histórico e democrático que se instala no Brasil seja destinado às declarações dos oprimidos, privados de liberdade, sequestrados, torturados e calados pelo regime ditatorial, como fonte de resgate desta memória, até então não oficialmente registrada.

4) Diante da postura adotada pela Organização dos Estados Americanos junto à Organização das Nações Unidas, no sentido de que a tortura é um crime contra a humanidade, insuscetível de prescrição e anistia, inclusive veementemente cobrando do Brasil as medidas cabíveis para a apuração e punição destes fatos ocorridos entre 1.964 e 1985, entendemos pela necessidade da imediata, senão tardia, instalação da Comissão da Verdade.

5) Entendemos que esta Comissão da Verdade, com natureza institucional e oficial, deva refletir os anseios da sociedade brasileira em resgatar seu lamentável passado opressor, bem como registrar, para fontes de memória histórica, os fatos que ocorreram nos porões da ditadura militar, de forma ampla, transparente e com a participação de todos os interessados, espaço no qual os ditadores, torturadores e assassinos do regime ditatorial poderão livremente prestar seus depoimentos.

6) Nossa oposição à veiculação destas declarações através da novela “Amor e Revolução” nada tem com vingança ou pretensa censura, mas nos obrigamos a nos posicionar contra a transmissão destas ideias de forma ficcional, sem compromisso com a verdade e sujeita a edições e sínteses.

7) Entendemos que colher depoimentos no mesmo espaço televisivo de vítimas e algozes é, no mínimo, igualar situações diferenciadas. Enquanto os primeiros se insurgiram contra um regime totalitário e lutaram como voluntários, entregando as próprias vidas pelo ideal de liberdade e justiça, os segundos eram servidores públicos, remunerados pelo povo brasileiro para zelar pela proteção de nossas fronteiras, que se tornaram criminosos ao torturar, estuprar e até assassinar os opositores do regime, de forma que não podemos concordar que, hoje, após à instalação da redemocratização do Brasil, sejam equiparados em suas prerrogativas de falar sobre os fatos acontecidos naquele período.

ASSIM SENDO, pelos argumentos acima expostos, postulamos que os depoimentos dos ditadores e torturadores não sejam veiculados como conclusão da novela “Amor e Revolução” do SBT, senão pela dívida histórica que a sociedade brasileira tem para com aqueles que lutaram pela liberdade, ao menos pelo respeito à dor e ao sofrimento de todas as vítimas do regime ditatorial.

Esclarecemos que não pretendemos censurar o direito de expressão dos ditadores e torturadores nem impedi-los de qualquer manifestação, mas sim que tais depoimentos não concluam a novela “Amor e Revolução”, não partilhem o mesmo espaço midiático, para que não sejam equiparados à condição de heróis do golpe de Estado dado em 1.964, o que significaria mais uma injustiça em relação às vítimas que lutaram pela democracia no Brasil.

Ressaltamos que este abaixo-assinado se originou no grupo “Documento Ditadura” do Facebook/Brasil, o mesmo que, meses atrás, elaborou e circulou outro abaixo-assinado em defesa da permanência de “Amor e Revolução”, enquanto os ditadores se organizavam para censurar e impedir a transmissão da novela, o que atesta que nosso compromisso é com a verdade dos fatos históricos a serem resgatados por estes depoimentos.

O Povo brasileiro, até o presente momento, ainda não teve assegurado o acesso à integralidade dos documentos e arquivos do período ditatorial e permaneceu privado de ver os torturadores da ditadura civil-militar exemplarmente responsabilizados por seus crimes de lesa-humanidade, de tortura e assassinato, o que consideramos como afronta aos direitos mais elementares do ser humano.

Como defensores e guardiães da memória histórica do Brasil, requisitamos que todos os depoimentos gravados pela produção da referida novela sejam devidamente publicizados, NA ÍNTEGRA, em meios adequados de difusão de informações, a fim de que sejam registrados como fontes históricas de pesquisa sobre os fatos sombrios ocorridos no período da ditadura militar no Brasil.




9 comentários:

  1. Era um Regime Militar ou um Regime de Ditadura? Sempre me faço esta pergunta. Existem diferenças entre um e outro Regime. Mas fico com minha opinião era Regime Militar.

    ResponderExcluir
  2. Item por item:

    1) Então a proposta é trocar a história oficiosa dos ditadores pela história oficiosa dos terroristas?

    2) E quem lhes concedeu essa prerrogativa? Qual foi o plebiscito?

    3) Momento democrático no qual só uma voz pode ser livre? Desculpe, mas querer agora que só um lado possa falar é repetir o erro imputado ao outro lado.

    4) Somos um país soberano. Quem propõe submissão da nossa Constituição (na qual consta a anistia) aos ditames da OEA, veria algum problema em transformar o Brasil em uma das repúblicas socialistas bolivarianas?

    5) No item 4 original, fala em punição; no 5, em permitir o livre depoimento. Afinal, é uma Comissão da Verdade ou uma ratoeira?

    6) E quem garante que as declarações dos terroristas não foram feitas sem compromisso com a verdade e sujeita a edições e sínteses? Ah, os próprios terroristas.

    7) Primeiro, voluntário não cobra a conta na forma de indenizações milionárias. Segundo, os ditos voluntários da democracia também assassinaram opositores (114 até agora documentado) e até pior, os próprios companheiros. E finalmente, alguém acredita mesmo que a intenção era instalar a democracia? Ganha um indenização milionária quem enxergar democracia nos estatutos das organizações terroristas da época.

    André Lima
    Recife-PE

    ResponderExcluir
  3. essa porcaria de novela tá dando 3 pontos de audiência.

    Gente parem de sensacionalismo ninguém quer tirar essa porcaria do ar!

    Aliás está interessante até, beijo lésbico, padre punheteiro, beijo gay..e nada de subir IBOPE? hahahah Pq não tentam o beijo grego?

    A Globo sempre será a melhor! Sorry! Aguardamos ansiosmente a hora dos personagens começarem a virar mutante

    ResponderExcluir
  4. a questão é o uso da novela para dar voz aos torturadores, sendo no final, prova que houve intencionalidade negativa, má e capciosa do SBT de apoiar os militares, policiais e civis torturadores. Apenas mais um golpe da midia nojenta e do poder da corja que deseja ditadura de volta no país!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Dagmar pelo seu belíssimo e didático Blog!
    Quanto ao AA, não se trata de censura. Trata-se de justiça! não adianta o André postar o documento ponto por ponto! na verdade os crimes da ditadura civil-militar de 1964 são indefensáveis!
    Primeiro chegaram ao poder via golpe de estado (o que também já é um crime indefensável!) no poder torturam crianças, mulheres e idosos pelo simples fato de serem filhos ou parentes de opositores da ditadura e defensores do Estado de Direito. Brutalizaram militantes, sequestrados, rasgaram a constituição e a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Depois de sequestrarem suas vítimas, já subjugadas, indefesas, se divertiram (até cobravam ingreso dos empresários fascistas para assistir)torturando e humilhando,para finalmente concluir com a eliminação, e desaparecimento dos corpos...até hj! no Paraná quando um preso já não tinha mais nada para falar, trouxeram sua esposa e a torturaram com choques elétricos, com o filho de dois meses nos braços, a quem também aplicaram choques elétricos! saquearam as residências dos militantes...levavam até os brinquedos!
    Lembro que o corpo é a morada da alma, quando é dilacerado e humilhado ao extremo, atinge-se a alma da pessoa para toda a vida! muitos que sonbreviveram não resistiram a tamanha dor na alma! os que sobreviveram e puderam resistir, carregarão essa dor por todas as suas vidas!
    Não podemos permitir que esse ASSASSINATO DA HISTÓRIA RECENTE do nosso país se perpetue, sob o risco de voltar a acontecer. A impunidade e a arrogância desses torturadores não pode ser veiculada em rede Nacional! é obceno, e adolescentes assistem esse horário! mais, é uma afronta a memória daqueles que tombaram por nós!

    Profª Drª Neusah Cerveira

    ResponderExcluir
  6. Não cobrei indenização pois para crimes como os que cometeram os torturadores, a única coisa sensata, é julgamento e cadeia para eles. Como disse a Neusah, nada amenizará ou confortará nossas almas dilaceradas. O mais sensato a ser feito, é não se encerrar a novela apenas com os depoimentos dos milicos torturadores,assassinos e criminosos, e julgá-los e puni-los por seus crimes. O comentário do André Lima, de Recife-PE, sua argumentação de que nossa defesa da democracia e do país, não foi voluntária,asua definição de terrorismo, são, além de absurdos, ridículos! Voluntárias, que com certeza, não foram as ações de torturas, sevícias,censura, assassinatos e sumiço de corpos realizadas pelos militares golpistas: pois eram funcionários públicos, pagos por nós para cumprirem suas funções constitucionais e não para praticarem terrorismo! Continuaremos a lutar por julgamento e punição dos milicos torturadores, assassinos da ditadura. Quanto a você, André Lima e outros que pensam como você, desejamos que nunca passem pelo que passamos, mesmo sabendo que vocês apoiam a tortura, assassinatos, ditaduras, fascismo e nazismo... Continuaremos lutando para que um dia se faça JUSTIÇA!
    Paulo Oisiovici (Profº Licenciado, especialista em Metodologia da História)-Correntina-BA

    ResponderExcluir
  7. 258 - Joaquim Pires Cerveira Junior: SBT = PIG ( Partido da Imprensa Golpista ) como alguem poderia esperar isencao desta gente

    ResponderExcluir
  8. meu irmaõ gemeo MOISES ASSEN ADRA FOI DURAMENTE TORTURADO EM 1965 EMQUANTO SERVIA O EXERCITO BRASILEIRO NA REGIÃO DE PERUS EST S. PAULO QUANDO FICAMOS SABENDO QUE ELE ESTAVA MARCADO EU ISMAEL ASSEN ADRA FUI ATE O QUARTEL EUM CIDADAÕ QUE TINHA ADMIRAÇÃO PELA MINHA FAMILHA FACILITOU DE ALGUMA FORMA POREM AS SEQUELAS GRAVES DE SAUDE FICARAM ATE HOJE DE DIVERSSAS FORMAS

    ResponderExcluir
  9. Revanchismo neo-fascista não é uma boa para o Brasil . Os esquerdistas queriam implantar a Ditadura do Proletariado Comunista e mataram cerca de 120 brasileiros. Boa parte dos mortos pelo terrorismo comunista eram bancários ou seguranças de banco que não tinham nada a ver com a repressão política. Teve também o caso daquele rapaz que estava servindo o quartel e estava de sentinela na frente do quartel do Ibirapuera e o caso do Tenente Alberto Mendes Junior que teve o crabio esmagado a gospes de fuzil.. Tenho a impressão que as esquerdas estão forçando a barra para consolidar o comunismo no Brasil... O povão nunca quis saber de comunismo e está dizendo que "eles podem vir, mas, por aqui, não passarão".

    ResponderExcluir

Seja Bem Vindo, Participe!

Curta a nossa pagina

Ocorreu um erro neste gadget

Participe do grupo no Facebook

Pesquisar

Ocorreu um erro neste gadget
“Este é tempo de divisas, tempo de gente cortada. É tempo de meio silêncio, de boca gelada e murmúrio, palavra indireta, aviso na esquina.”
Carlos Drumond de Andrade